Mais a visão se aprofunda,
mais estrelas se percebem,
na escuridão...

21 de julho de 2015

Sonha


Com todos os anjos que nos vieram e partiram,
e com o renascer pleno que será.

Com as premonições que nos faltaram
e com as que não compreendemos.

Com o que quisemos fazer por tantos seres
e com o que não nos foi dado realizar.

Com as palavras felizes que dissemos,
e com as que nem sempre pudemos pronunciar

Com as coisas que merecíamos
e não mais nos fazem falta.

Com as conversas leves que o tempo não nos permitiu,
porque escrevíamos nossa longa história.

Com as lutas perdidas, vencidas,
e com as que ainda venceremos.

Sonha,
voando sobre campos de reencontro e paz,
com música etérea, praias, gaivotas e veleiros,
com pés descalços e mãos espalmadas ao sol,
com flores vivas gravadas contra o azul,
com tardes de outono e beija-flores de esmeralda,
com reinícios infindos.

Enquanto atravesso paredes de cristal,
perseguindo caleidoscópicas visões de sal,
degredados fragmentos de mim, em diluição reunidos.

Enquanto consulto alfarrábios e sextantes e astrolábios,
preparo secretas poções balsâmicas para nossas almas
e evoco memórias futuras que se haverão de escrever.

(Para minha esposa, Jussara)

19/21.jul.2015